• Painéis Solares

    O que você precisa saber sobre painéis solares?

    Se está a pensar em dispor de um sistema de energia solar fotovoltaica em sua residência ou mesmo em sua empresa, pode notar que nem sempre é fácil decidir pela melhor tecnologia. Clique aqui se procura preços de painéis solares.

    Painéis Solares Preços

    Por isso, separamos algumas dicas que podem lhe ajudar a decidir a escolher a melhor tecnologia para o seu caso. Lembre-se que optar pelo painel ideal deverá depender, necessariamente, do seu caso específico. Por isso, embora estejamos e lhe dar algumas dicas, é fundamental que você disponha de auxílio técnico antes de decidir pela tecnologia ideal.

    Veja algumas informações as quais você deverá dispor antes de se decidir pela compra dos seus painéis solares:

    Qual a sua necessidade de energia?

    Antes de começar a pensar em painéis solares, você precisa saber definir, de forma exata, qual é a sua necessidade de energia mensal. Isso pode ser facilmente verificado na sua conta de energia da rede pública. Tenha uma ideia de qual a média mensal de consumo em Kwh e também os períodos em que você mais necessita de energia.

    Saber o quanto você consome de energia elétrica é fundamental antes de escolher o seu painel. Isso porque, a depender da tecnologia escolhida, você terá uma maior ou menor eficiência, ou seja, o quanto o painel é capaz de transformar luz solar em energia eléctrica.

    Hoje no mercado você encontra vários tipos de painéis feitos com tecnologias diferenciadas, em cada uma a eficiência de conversão é diferente. Para quem necessita de mais energia eléctrica e dispõe de um espaço pequeno, o recomendado é optar por painéis com tecnologias mais eficientes e capazes de transformar uma quantidade maior de luz solar em energia eléctrica.

    Já se o seu consumo é menor, então você poderá dispor de uma tecnologia não muito eficiente, mas com um valor bem mais acessível.

    Por isso, antes de iniciar a busca pelo seu painel solar ideal é importante que você saiba, de antemão, quais são os seus gastos energéticos, para que, enfim, possa escolher a tecnologia mais adequada.

    Qual é o seu espaço disponível?

    Assim como a necessidade de energia é fundamental que você saiba qual o espaço disponível em seu lar para a instalação de painéis solares. Muitas vezes, painéis com menor eficiência (porém mais baratos), podem ser instalados em locais maiores, a gerar, dessa forma, uma quantidade de energia suficiente para as suas atividades.

    Instalação de painéis solares

    Saber qual o espaço disponível para a instalação dos painéis solares também ajuda a identificar qual a tecnologia será usada, pois, a depender do painel escolhido, é possível fazer algumas adaptações.

    Veja algumas informações fundamentais para escolher o melhor painel solar para o seu caso:

    eficiência do painel fotovoltaico:

    Agora que você já sabe quanto necessita de energia por mês, você poderá começar a buscar por painéis solares capazes de atender a sua necessidade. Ou seja, qual tecnologia possui maior porcentagem de eficiência na transformação de luz solar em energia eléctrica.

    Nem sempre os painéis com maior eficiência são os melhores, já que tudo irá depender do seu caso em específico. Se você tem por hábito utilizar muita energia – e dispõe de pouco espaço para a instalação dos painéis-, então certamente tecnologias mais eficientes são indicadas.

    Porém, se você possui um gasto energético baixo ou dispõe de muito espaço livre em seu imóvel para a instalação dos painéis solares, então é possível que você opte por tecnologias menos eficientes, com valor mais acessível e que sejam capazes de suprir as suas necessidades.

    Os painéis mais eficientes disponíveis no mercado hoje são os de silício cristalino, com eficiência que varia entre 13 a 16%. Valores superiores a 16% fazem com que o painel seja considerado premium e um produto de destaque no mercado, com um valor igualmente elevado.

    Por isso, antes de comprar o produto mais eficiente, tenha a certeza de estar a levar a tecnologia que seja mais acertada para o seu caso.

    garantia do painel fotovoltaico:

    Orçamentos são importantes na hora de decidir pela melhor opção, mas não dizem muito a respeito da procedência do seu painel solar. Lembre-se que essa é uma tecnologia cara e, por isso mesmo, projetada para ter uma longa durabilidade.

    Em geral, a maior parte das marcas de painéis fotovoltaicos possuem garantia entre 25 e 30 anos, com 80% da sua potência original.

    Mas é bom esclarecer algumas questões antes de se decidir por determinado painel, como a forma que a empresa lida com painéis defeituosos e quais as certezas que lhe dão de que estarão a lhe prestar assistência nos próximos 10 ou 20 anos. Outro dado importante é questionar acerca da manutenção das placas. Saiba como e de quanto tempo ela deve ser feita e se a empresa disponibiliza planos de manutenção.

    quem fabrica o painel fotovoltaico:

    Saber a origem do painel é muito importante para garantir que está a comprar um produto idôneo e que irá funcionar por um longo período de anos.

    Faça uma pesquisa na internet, no sítio do fabricante e também em sítios de usuários, saiba como é a procedência da marca, se costuma apresentar defeitos, quais as garantias oferece e se os usuários estão satisfeitos com o produto em questão.

    Como a maior parte dos fabricantes pode ser de outros países é importante checar a origem do produto e se eles possuem escritório ou representantes credenciados em Portugal.

    tecnologia do painel fotovoltaico

    Este item está intimamente ligado a eficiência energética. Existem muitas tecnologias no mercado (painéis monocristalino, policristalino, multicristalino, de filme fino, entre outros) e dentre essas é importante saber quais são indicadas para o seu caso.

    Além dos valores, cheque a eficiência de conversão, a necessidade de espaço para a instalação, a durabilidade, as vantagens e desvantagens frente a outras tecnologias, entre outros itens.

    custos envolvidos

    Muitas vezes sentimo-nos atraídos por preços menores e promoções. Mas, lembre-se que escolher o seu sistema fotovoltaico apenas pelo preço pode lhe gerar ainda mais problemas.

    O ideal é considerar quantos Watts por euros você está a comprar, além de comparar a garantia, os serviços adicionais incluídos, a qualidade de produto, a forma de instalação, entre outros itens.

    Como pode notar, existem muitas questões a considerar na hora de escolher o melhor painel fotovoltaico para seu lar ou empresa, por isso, busque sempre estar bem informado.

  • piso laminado

    Soalho laminado: de que forma assentar?

    O soalho laminado é uma ótima opção para residências e escritórios, pois deixa o ambiente mais sofisticado, além de melhorar a sensação térmica. Por isso, muitas pessoas têm preterido este modelo de soalho em relação a outros como o soalho frio ou de madeira.
    As vantagens do laminado são muito grandes, como a estética que se assemelha a madeira, mas não necessita dos cuidados específicos destes, além da sua facilidade de instalação.

    Definindo os materiais

    Antes de iniciar a instalação é importante que você calcule a quantidade necessária de material, de modo a evitar perdas. O cálculo mais usado é este:
    (largura da sala x comprimento da sala)x 1,1 = m² de soalho necessário, sendo que 1,1 representa a média de 10% de perda.

    Além do soalho, você irá necessitar de outros itens, como:

    • manta ventilada: para soalhos térreos de madeira, cerâmica, pedra ou vinil
    • manta lisa: para contrasoalhos cimentados e soalhos não térreos
    • manta acústica: para soalhos não térreos e apartamentos, promovendo uma redução do barulho.
    • cantoneira/cordão: deve ser usado junto a armários embutidos ou outros móveis de alvenaria
    • perfil redutor: para áreas frias e na passagem entre ambientes que apresente desnível
    • perfil T: em todo vão de portas e a cada 8m²
    • perfil soalho parede: como alternativa ao rodapé
    • espaçadores de 1.5cm
    • rodapés de 50,60,70 ou 80cm
    • cola para rodapé

    Cuidados antes da instalação

    É importante que você prepare o chão antes de receber o soalho com, pelo menos, 48 horas de antecedência. Inicie fazendo uma adaptação do soalho, de modo a deixar os pacotes fechados do soalho laminado no ambiente em que será assentado.
    Isto é importante para fazer com que o soalho que será assentado se acostume com a temperatura e, dessa forma, sejam reduzidas as chances de encolhimento do soalho quando ele for esfriado ou aquecido pela temperatura ambiente.
    Depois de ter realizado este processo, promova a limpeza do chão onde o laminado será assentado. Você pode usar o método que preferir, como vassoura ou outros.
    Em seguida, assente um retentor de humidade, que pode ser um forro plástico. Prenda-o com uma fita adesiva capaz de resistir a humidade e certifique-se de cobrir todo o chão. Caso o seu soalho seja de concreto, você deverá subir o plástico em torno de 3 a 6 cm pela parede, mas sem ultrapassar a linha do rodapé.
    No caso do contrasoalho, é necessário verificar se o mesmo está nivelado, antes de usar o retentor de humidade. As diferenças de até 3mm em uma distância de 1.5m entre elevações são aceitáveis. Valores maiores que estes devem ser corrigidos.
    Agora você poderá assentar o estofamento para o chão ou a manta adequada para o seu contrapiso. Para o estofamento, cubra o plástico com uma espuma de estofamento, de modo a impedir que qualquer resíduo deixado no chão (como areia e pedras) causem ondulações no soalho. Corte o revestimento de espuma nas medidas corretas para o seu chão e pregue-o. Tenha cuidado para que a espuma não se sobreponha.
    Já se você for usar a manta, escolha o modelo adequado para o seu tipo de contrapiso e coloque-a no sentido oposto das réguas. Deixe 1 cm de sobra atrás do rodapé ou do canto da parede e use fita adesiva para unir as faixas. Então, coloque os espaçadores ao longo da parede de modo a deixar espaço suficiente para a dilatação do soalho.

    Assentando o soalho laminado

    Agora é o momento de começar a colocar o soalho, de fato. Inicie colocando a primeira placa no canto superior esquerdo, com um lado voltado para a parede. Busque sempre colocar a primeira régua do soalho com o lado ‘macho’ voltado para a parede (este é aquele que possui uma lateral um pouco maior).
    Neste momento, você também deverá usar espaçadores. Eles devem ser colocados entre a placa e a parede. Caso você prefira, poderá fazer os seus próprios espaçadores, mas é importante ficar atento as medidas. Cada um deve ter uma espessura de 5 a 10 mm, um comprimento de cerca de 30 cm ou mais e o formato de L. Você irá precisar de aproximadamente 6 ou mais espaçadores por fileira.
    Repita todo o processo com a segunda régua de soalho, instalando-a da mesma maneira da anterior, colocando ponta com ponta e seguindo ao longo da parede. Para ter um resultado perfeito, faça toda a primeira fileira de maneira paralela à parede mais longa do cômodo.
    A última régua da primeira fileira deverá receber um ajuste no comprimento, por isso, corte-a com o lado decorativo para baixo, sendo que a parte cortada deverá ficar voltada para a parede.
    Comece a segunda fileira utilizando uma régua cortada pela metade e coloque-a num ângulo de 30º. É importante que o primeiro pedaço de soalho laminado desta fileira fique diferente (escalonado) da primeira fileira. Para fazer a junção das fileiras, você poderá usar um bloco de madeira e dar pequenas batidas de modo a unir as réguas. É importante que o vão entre as duas fileiras seja fechado.
    A terceira fileira deverá ser feita como a primeira, e a quarta fileira como a segunda, de modo alternado até o final da instalação. Certifique-se de que todos os vãos estão bem fechados. Para isso, dê suaves marteladas com o bloco batente na ponta da régua, fechando os encaixes do topo e deixando todas as réguas bem unidas.
    É muito importante que você nunca use o martelo diretamente no soalho laminado e sempre use o bloco batente. Para fixar a última régua, martele usando o ferro em S.
    Na última fileira, poderá ser necessário fazer um ajuste na largura das réguas. Para isso, alinhe-a com a anterior. Então, coloque por cima outra régua e arraste-a até a parede. A largura que sobrar da primeira régua será a ideal. Faça o corte com a serra.
    Finalize retirando todos os espaçadores e fixando os rodapés nas paredes com cola ou pregos sem cabeça. Além disso, pequenos arranhões ou buracos podem ser cobertos posteriormente utilizando lápis especiais que são encontrados em lojas de materiais de construção.


O que você precisa saber sobre painéis solares?

Painéis Solares

Se está a pensar em dispor de um sistema de energia solar fotovoltaica em sua residência ou mesmo em sua empresa, pode notar que nem sempre é fácil decidir pela melhor tecnologia. Clique aqui se procura preços de painéis solares.

Painéis Solares Preços

Por isso, separamos algumas dicas que podem lhe ajudar a decidir a escolher a melhor tecnologia para o seu caso. Lembre-se que optar pelo painel ideal deverá depender, necessariamente, do seu caso específico. Por isso, embora estejamos e lhe dar algumas dicas, é fundamental que você disponha de auxílio técnico antes de decidir pela tecnologia ideal.

Veja algumas informações as quais você deverá dispor antes de se decidir pela compra dos seus painéis solares:

Qual a sua necessidade de energia?

Antes de começar a pensar em painéis solares, você precisa saber definir, de forma exata, qual é a sua necessidade de energia mensal. Isso pode ser facilmente verificado na sua conta de energia da rede pública. Tenha uma ideia de qual a média mensal de consumo em Kwh e também os períodos em que você mais necessita de energia.

Saber o quanto você consome de energia elétrica é fundamental antes de escolher o seu painel. Isso porque, a depender da tecnologia escolhida, você terá uma maior ou menor eficiência, ou seja, o quanto o painel é capaz de transformar luz solar em energia eléctrica.

Hoje no mercado você encontra vários tipos de painéis feitos com tecnologias diferenciadas, em cada uma a eficiência de conversão é diferente. Para quem necessita de mais energia eléctrica e dispõe de um espaço pequeno, o recomendado é optar por painéis com tecnologias mais eficientes e capazes de transformar uma quantidade maior de luz solar em energia eléctrica.

Já se o seu consumo é menor, então você poderá dispor de uma tecnologia não muito eficiente, mas com um valor bem mais acessível.

Por isso, antes de iniciar a busca pelo seu painel solar ideal é importante que você saiba, de antemão, quais são os seus gastos energéticos, para que, enfim, possa escolher a tecnologia mais adequada.

Qual é o seu espaço disponível?

Assim como a necessidade de energia é fundamental que você saiba qual o espaço disponível em seu lar para a instalação de painéis solares. Muitas vezes, painéis com menor eficiência (porém mais baratos), podem ser instalados em locais maiores, a gerar, dessa forma, uma quantidade de energia suficiente para as suas atividades.

Instalação de painéis solares

Saber qual o espaço disponível para a instalação dos painéis solares também ajuda a identificar qual a tecnologia será usada, pois, a depender do painel escolhido, é possível fazer algumas adaptações.

Veja algumas informações fundamentais para escolher o melhor painel solar para o seu caso:

eficiência do painel fotovoltaico:

Agora que você já sabe quanto necessita de energia por mês, você poderá começar a buscar por painéis solares capazes de atender a sua necessidade. Ou seja, qual tecnologia possui maior porcentagem de eficiência na transformação de luz solar em energia eléctrica.

Nem sempre os painéis com maior eficiência são os melhores, já que tudo irá depender do seu caso em específico. Se você tem por hábito utilizar muita energia – e dispõe de pouco espaço para a instalação dos painéis-, então certamente tecnologias mais eficientes são indicadas.

Porém, se você possui um gasto energético baixo ou dispõe de muito espaço livre em seu imóvel para a instalação dos painéis solares, então é possível que você opte por tecnologias menos eficientes, com valor mais acessível e que sejam capazes de suprir as suas necessidades.

Os painéis mais eficientes disponíveis no mercado hoje são os de silício cristalino, com eficiência que varia entre 13 a 16%. Valores superiores a 16% fazem com que o painel seja considerado premium e um produto de destaque no mercado, com um valor igualmente elevado.

Por isso, antes de comprar o produto mais eficiente, tenha a certeza de estar a levar a tecnologia que seja mais acertada para o seu caso.

garantia do painel fotovoltaico:

Orçamentos são importantes na hora de decidir pela melhor opção, mas não dizem muito a respeito da procedência do seu painel solar. Lembre-se que essa é uma tecnologia cara e, por isso mesmo, projetada para ter uma longa durabilidade.

Em geral, a maior parte das marcas de painéis fotovoltaicos possuem garantia entre 25 e 30 anos, com 80% da sua potência original.

Mas é bom esclarecer algumas questões antes de se decidir por determinado painel, como a forma que a empresa lida com painéis defeituosos e quais as certezas que lhe dão de que estarão a lhe prestar assistência nos próximos 10 ou 20 anos. Outro dado importante é questionar acerca da manutenção das placas. Saiba como e de quanto tempo ela deve ser feita e se a empresa disponibiliza planos de manutenção.

quem fabrica o painel fotovoltaico:

Saber a origem do painel é muito importante para garantir que está a comprar um produto idôneo e que irá funcionar por um longo período de anos.

Faça uma pesquisa na internet, no sítio do fabricante e também em sítios de usuários, saiba como é a procedência da marca, se costuma apresentar defeitos, quais as garantias oferece e se os usuários estão satisfeitos com o produto em questão.

Como a maior parte dos fabricantes pode ser de outros países é importante checar a origem do produto e se eles possuem escritório ou representantes credenciados em Portugal.

tecnologia do painel fotovoltaico

Este item está intimamente ligado a eficiência energética. Existem muitas tecnologias no mercado (painéis monocristalino, policristalino, multicristalino, de filme fino, entre outros) e dentre essas é importante saber quais são indicadas para o seu caso.

Além dos valores, cheque a eficiência de conversão, a necessidade de espaço para a instalação, a durabilidade, as vantagens e desvantagens frente a outras tecnologias, entre outros itens.

custos envolvidos

Muitas vezes sentimo-nos atraídos por preços menores e promoções. Mas, lembre-se que escolher o seu sistema fotovoltaico apenas pelo preço pode lhe gerar ainda mais problemas.

O ideal é considerar quantos Watts por euros você está a comprar, além de comparar a garantia, os serviços adicionais incluídos, a qualidade de produto, a forma de instalação, entre outros itens.

Como pode notar, existem muitas questões a considerar na hora de escolher o melhor painel fotovoltaico para seu lar ou empresa, por isso, busque sempre estar bem informado.


Soalho laminado: de que forma assentar?

piso laminado

O soalho laminado é uma ótima opção para residências e escritórios, pois deixa o ambiente mais sofisticado, além de melhorar a sensação térmica. Por isso, muitas pessoas têm preterido este modelo de soalho em relação a outros como o soalho frio ou de madeira.
As vantagens do laminado são muito grandes, como a estética que se assemelha a madeira, mas não necessita dos cuidados específicos destes, além da sua facilidade de instalação.

Definindo os materiais

Antes de iniciar a instalação é importante que você calcule a quantidade necessária de material, de modo a evitar perdas. O cálculo mais usado é este:
(largura da sala x comprimento da sala)x 1,1 = m² de soalho necessário, sendo que 1,1 representa a média de 10% de perda.

Além do soalho, você irá necessitar de outros itens, como:

  • manta ventilada: para soalhos térreos de madeira, cerâmica, pedra ou vinil
  • manta lisa: para contrasoalhos cimentados e soalhos não térreos
  • manta acústica: para soalhos não térreos e apartamentos, promovendo uma redução do barulho.
  • cantoneira/cordão: deve ser usado junto a armários embutidos ou outros móveis de alvenaria
  • perfil redutor: para áreas frias e na passagem entre ambientes que apresente desnível
  • perfil T: em todo vão de portas e a cada 8m²
  • perfil soalho parede: como alternativa ao rodapé
  • espaçadores de 1.5cm
  • rodapés de 50,60,70 ou 80cm
  • cola para rodapé

Cuidados antes da instalação

É importante que você prepare o chão antes de receber o soalho com, pelo menos, 48 horas de antecedência. Inicie fazendo uma adaptação do soalho, de modo a deixar os pacotes fechados do soalho laminado no ambiente em que será assentado.
Isto é importante para fazer com que o soalho que será assentado se acostume com a temperatura e, dessa forma, sejam reduzidas as chances de encolhimento do soalho quando ele for esfriado ou aquecido pela temperatura ambiente.
Depois de ter realizado este processo, promova a limpeza do chão onde o laminado será assentado. Você pode usar o método que preferir, como vassoura ou outros.
Em seguida, assente um retentor de humidade, que pode ser um forro plástico. Prenda-o com uma fita adesiva capaz de resistir a humidade e certifique-se de cobrir todo o chão. Caso o seu soalho seja de concreto, você deverá subir o plástico em torno de 3 a 6 cm pela parede, mas sem ultrapassar a linha do rodapé.
No caso do contrasoalho, é necessário verificar se o mesmo está nivelado, antes de usar o retentor de humidade. As diferenças de até 3mm em uma distância de 1.5m entre elevações são aceitáveis. Valores maiores que estes devem ser corrigidos.
Agora você poderá assentar o estofamento para o chão ou a manta adequada para o seu contrapiso. Para o estofamento, cubra o plástico com uma espuma de estofamento, de modo a impedir que qualquer resíduo deixado no chão (como areia e pedras) causem ondulações no soalho. Corte o revestimento de espuma nas medidas corretas para o seu chão e pregue-o. Tenha cuidado para que a espuma não se sobreponha.
Já se você for usar a manta, escolha o modelo adequado para o seu tipo de contrapiso e coloque-a no sentido oposto das réguas. Deixe 1 cm de sobra atrás do rodapé ou do canto da parede e use fita adesiva para unir as faixas. Então, coloque os espaçadores ao longo da parede de modo a deixar espaço suficiente para a dilatação do soalho.

Assentando o soalho laminado

Agora é o momento de começar a colocar o soalho, de fato. Inicie colocando a primeira placa no canto superior esquerdo, com um lado voltado para a parede. Busque sempre colocar a primeira régua do soalho com o lado ‘macho’ voltado para a parede (este é aquele que possui uma lateral um pouco maior).
Neste momento, você também deverá usar espaçadores. Eles devem ser colocados entre a placa e a parede. Caso você prefira, poderá fazer os seus próprios espaçadores, mas é importante ficar atento as medidas. Cada um deve ter uma espessura de 5 a 10 mm, um comprimento de cerca de 30 cm ou mais e o formato de L. Você irá precisar de aproximadamente 6 ou mais espaçadores por fileira.
Repita todo o processo com a segunda régua de soalho, instalando-a da mesma maneira da anterior, colocando ponta com ponta e seguindo ao longo da parede. Para ter um resultado perfeito, faça toda a primeira fileira de maneira paralela à parede mais longa do cômodo.
A última régua da primeira fileira deverá receber um ajuste no comprimento, por isso, corte-a com o lado decorativo para baixo, sendo que a parte cortada deverá ficar voltada para a parede.
Comece a segunda fileira utilizando uma régua cortada pela metade e coloque-a num ângulo de 30º. É importante que o primeiro pedaço de soalho laminado desta fileira fique diferente (escalonado) da primeira fileira. Para fazer a junção das fileiras, você poderá usar um bloco de madeira e dar pequenas batidas de modo a unir as réguas. É importante que o vão entre as duas fileiras seja fechado.
A terceira fileira deverá ser feita como a primeira, e a quarta fileira como a segunda, de modo alternado até o final da instalação. Certifique-se de que todos os vãos estão bem fechados. Para isso, dê suaves marteladas com o bloco batente na ponta da régua, fechando os encaixes do topo e deixando todas as réguas bem unidas.
É muito importante que você nunca use o martelo diretamente no soalho laminado e sempre use o bloco batente. Para fixar a última régua, martele usando o ferro em S.
Na última fileira, poderá ser necessário fazer um ajuste na largura das réguas. Para isso, alinhe-a com a anterior. Então, coloque por cima outra régua e arraste-a até a parede. A largura que sobrar da primeira régua será a ideal. Faça o corte com a serra.
Finalize retirando todos os espaçadores e fixando os rodapés nas paredes com cola ou pregos sem cabeça. Além disso, pequenos arranhões ou buracos podem ser cobertos posteriormente utilizando lápis especiais que são encontrados em lojas de materiais de construção.


3 Idéias Fáceis de DIY que Você Precisa Tentar ❤️ | Faça você mesmo

DIY-Easter-Decorations

DIY-Easter-Decorations


DIY – Porta temperos com imã | Faça você mesmo

DIY-Gift-Ideas

DIY-Gift-Ideas


DIY/faça você mesmo: Itens para seu quarto!